O
trabalho em grupo como viés essencial da aprendizagem baseada por projetos



A escola, enquanto um grande ecossistema educativo, precisa superar o desafio de preparar os sujeitos não apenas para o mundo do trabalho ou para academia, mas sim como seres humanos e sociais integrados ao ambiente em que vivem, promovendo a melhora constante da sociedade. Dessa maneira, ao formar cidadãos, é preciso se ater às habilidades que se farão, ou melhor, já se fazem necessárias no século XXI. Dentre muitas habilidades essenciais ao desenvolvimento discente, destacamos a colaboração. Ao longo dos séculos tornou-se possível observar que a colaboração foi e ainda é o caminho para o desenvolvimento humano, tecnológico e societário.

Um grande exemplo da contemporaneidade, que reflete a importância de tecer processos colaborativos, diz respeito ao próprio enfrentamento da pandemia da Covid-19, onde vários pesquisadores, de diferentes partes do mundo se reuniram para produzir protocolos sanitários, medicamentos, formas de tratamento e até mesmo vacinas em tempo recorde.

Diante o contexto apresentado, assume-se que o trabalho em grupo, a partir da integração de vários sujeitos (professores, alunos, etc.) apresenta forte centralidade na aprendizagem baseada em projetos. O próprio método, que alia a colaboração à habilidade de resolução de problemas, se sustenta a partir da multiplicidade de olhares sobre o mesmo objeto.

No Santa Marcelina, quando desenvolvemos nossa metodologia de aprendizagem por projetos, trazemos a colaboração e o trabalho em grupo como centralidade. Assim, o protagonismo de vários agentes se torna uma fonte inspiradora de transformação, fazendo o impossível se tornar possível.

Você quer fazer a diferença no mundo? Você sente que pode fazer mais pela sua comunidade? Conheça nossa história e nossos projetos! Nos ajude a transformar o impossível em possível!